Share |

Atrasos graves na entrega de correspondência por parte dos CTT em várias freguesias do Concelho da Feira

A entrega dos CTT aos privados foi um ataque aos serviços públicos e piorou a vida dos portugueses. O objetivo dos privados é gerar lucro a qualquer preço, não se preocupando minimamente com os interesses das populações. De facto, a entrega dos CTT aos privados, realizada pelo governo de Passos Coelho e Paulo Portas, fragilizou inevitavelmente os serviços públicos e aumentou assim as assimetrias sociais, económicas e territoriais no país.

O Bloco de Esquerda já apresentou na Assembleia da República a proposta para a nacionalização dos CTT, mas, infelizmente, a coligação negativa composta pelo PS, PSD e CDS votou contra o regresso desta empresa à esfera pública, penalizando assim as populações e a democracia. Depois da entrega dos CTT aos privados o encerramento de balcões e a diminuição de carteiros precarizou de tal forma o serviço que uma parte significativa da população chega a receber correspondência fora do prazo (contas para pagar cuja data limite já foi ultrapassada, cartas para marcação de consultas hospitalares recebidas depois da data agendada para consulta, etc.).

Esta situação causa danos irremediáveis às populações. Muitas vezes as contas ficam por pagar, as convocatórias para a população ir a determinados serviços chegam depois da data, o que é intolerável e demonstrativo de que os CTT atualmente são incapazes de cumprir com as suas obrigações.

Em várias freguesias do concelho de Santa Maria da Feira, os atrasos na entrega da correspondência são incompatíveis com as necessidades reais da população. Há freguesias onde o carteiro distribui correio apenas duas ou três vezes por semana porque os CTT se recusam a contratar mais carteiros para poupar dinheiro com salários.  Os deputados do BE já questionaram o governo. ler aqui

AnexoTamanho
mih_ctt_santa_maria_da_feira.pdf525.68 KB