Share |

BE Feira apresentou 40 propostas para que o Orçamento Municipal traga mais investimento público, mais qualidade de vida e mais proteção social

Bloco de Esquerda apresenta 40 propostas para que o Orçamento Municipal traga mais investimento público, mais qualidade de vida e mais proteção social

O Bloco de Esquerda apresentou 40 propostas para o Plano de Atividades e Orçamento do Município de Santa Maria da Feira relativo a 2018.

Estas propostas que incidem sobre as áreas da Ação Social, sobre os Serviços Públicos, sobre o Ambiente, Acessibilidades e Qualidade de Vida, sobre Saúde, Educação, Património e Bem-Estar Animal. ler aqui as propostas

São 40 propostas para que constituem uma mudança em relação aos Orçamentos municipais dos últimos anos. O PSD tem apresentado e aprovado Orçamentos que impõem mais impostos sobre as famílias feirenses, mas que não reforçam as medidas e os programas sociais no concelho. O PSD tem apresentado e aprovado Orçamentos Municipais com níveis de investimento quase nulos e, por isso, tem deixado vários equipamentos e espaços públicos ao abandono. O PSD tem apresentado e aprovado Orçamentos Municipais que privilegiam os interesses privados e, por isso, os feirenses pagam cada vez mais água.

As propostas do Bloco de Esquerda apontam num sentido muito diferente. Queremos um orçamento com um reforço significativo da Ação Social, que aposte na requalificação do espaço público, que traga para a esfera pública bens e serviços essenciais como é o caso da água e do saneamento.

Com as propostas do Bloco de Esquerda, conseguir-se-á mais investimento, melhor qualidade de vida, mais solidariedade e respeito por direitos essenciais dos feirenses, desde o acesso a bens essenciais até à mobilidade.

Por isso queremos, entre outras propostas:

O reforço da verba destinada à ação social, de forma a que corresponda a pelo menos 5% do orçamento municipal. Esse reforço deve traduzir-se na criação de um plano social de habitação, na aplicação de uma tarifa social na água, na criação de um programa de emergência social e num programa de comparticipação de medicamentos;

A promoção e salvaguarda dos serviços públicos, resgatando das mãos dos privados serviços essenciais como a água e o saneamento, resgatando para a gestão pública o estacionamento à superfície, criação de um Centro Coordenador de Transportes e criação de uma rede de transportes que una e ligue todo o concelho;

Promover a qualidade de vida e as acessibilidades dentro do concelho. Para isso, propomos a eliminação de todas as barreiras arquitetónicas existentes no concelho, a recolha dos resíduos sólidos 4 vezes por semana em todo o concelho, requalificação das margens do rio Cáster, requalificação de equipamentos públicos, de jardins e praças postos ao abandono e construção de novos equipamentos, como o parque radical, parques infantis nas várias freguesias e um crematório.

Com as propostas do Bloco de Esquerda defender-se-á o património do concelho e inaugurar-se-á um novo ciclo de políticas de respeito pelos direitos dos animais.

O Bloco de Esquerda quer a realização de um levantamento arqueológico e a criação de roteiros do património industrial, histórico e arqueológico do concelho. Propõe-se ainda a criação de um centro de interpretação junto ao Castro de Romariz e a reabilitação de património histórico de elevado valor, como é o caso do castro de Fiães, do edifício da Malaposta, da Estrada Real, da Quinta do Engenho Novo, do Mercado Municipal e da Via Antiga de Mosteirô.

O Bloco de Esquerda quer ainda a elaboração de um regulamento para o bem-estar animal e uma nova forma de lidar com os direitos dos animais. A Câmara Municipal não pode nem deve continuar a defender o abate de animais. Deve substituir essa visão retrógrada por uma política de esterilização e de promoção da adoção.

Com as 40 propostas que o Bloco de Esquerda o Orçamento Municipal para 2018 será muito melhor do que os últimos orçamentos apresentados pelo PSD. Está agora na mão do Executivo de Emídio Sousa incorporar as propostas do Bloco e dar-lhe dotação orçamental. Ou, pelo contrário, continuar o seu projeto de empobrecimento do concelho.

AnexoTamanho
prop.02_-_propostas_plano_e_orcamento_2018.pdf1.28 MB